quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Delirante

o cansaço era eminente em teu semblante, olhos fundos, voz mansa, cabelo despenteado.
almoçou e e não conteve, o pecado de um sono em uma tarde quente o cometeu.
Tirou a camisa, tênis-meia, bermuda, cueca... ficou nú na imensidão da cama e do sono.
Tão profundo foi seu cansaço, seu sono... ele apagou, dormiu além do que podia e perdeu o dentista, atrasou para faculdade, mas ganhou um sorriso.
Imerso no sono, sonhou... em uma tarde quente ele dormiu e sonhou (delirou... vai saber?!) Amigos, cerveja, piscina... ela. Imponente e encantadora, tomando o ar de quem ficava perto. Sonhou com o reencontro, com as conversas e com o sorriso. Quando quis sonhar com um beijo... foi acometido com o despertar...

4 comentários:

  1. esses sonhos em que a gente nao quer despertar .

    ResponderExcluir
  2. odeio sonhar.. não, odeio acordar.
    tem momentos que queria dormir para sempre!

    ResponderExcluir