domingo, 13 de março de 2011

passeando

Deitados em meio a cama verde com grandes dimensões estavam deitados e olhando como os pássaros que brincavam naquela tarde. Deitaram e ficaram por lá de mãos dadas reservando os olhares: ora o céu, ora o olhar do outro.
As vezes ele achava que ela era louca, quem sem mais nem menos resolver andar em lugares antes impensados e simplesmente por lá ficar deitados por alguns momentos? As vezes ela cansava de ficar deitada e se sentava cruzando as pernas e olhava para o horizonte. Ele olhava aquele cabelo castanho com alguns pedaços de grama, sua cintura (sempre insinuaste para ele) desenhada pela camiseta cinza. Com o passar do tempo, como que lembra que tem algo a fazer, ela passa a mão no cabelo limpado da grama verde, vira e sorrir para ele. E neste momento em que ela pega em sua mão e sorrir que ele percebe o quanto era compensador todo o esforço de chegar ate ali. 

Um comentário:

  1. No fim das contas tudo vale a pena quando a alma nao é pequena *-*

    Achei otimo.

    ResponderExcluir