quarta-feira, 13 de maio de 2009

dois e um andar

Cabelos cerrados da cor da solidão e com um sorriso acolhedor, em teus lábios repousei a serenidade de um instante, entre passos, breves palavras e poucos olhares (esses que tanto me encantam e tanto ouso a escrever) entre o curto corredor que separa nossas primeiras palavras da nossa distanciação. De que adianta letras transpostas num espaço, se este é tão imenso que talvez seus olhos nunca as encontrem entre um falso vácuo de duas estrelas. Uma mais bravamente ousa a brilhar mais a cada instante e cada vez com maior intensidade. Esta... Tem um nome... nome que não ouso jogar neste branco fundo na qual desenho com palavras...

2 comentários:

  1. esses dias eu li que, não há distância e nem silêncio que abale o bom sentimento, pois é...

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante.Muito sensível.

    ResponderExcluir